Fique por dentro

Projeto de impressora 3D imprime chocolates de verdade



Imagine chegar em casa, "morrendo de fome" e, ao invés de tirar da geladeira os ingredientes para começar a preparar sua refeição, simplesmente apertar o botão de uma impressora e, depois de alguns minutos, voilá, sua comida está pronta.
É o que pode acontecer se o projeto criado pelo brasileiro Marcelo Coelho, ligado ao famoso Massachussets Institute of Technology, o MIT, nos Estados Unidos, em parceria com o israelense Amit Zoran, virar realidade a ponto de ser comercializado. Desenvolvido desde o início de 2010, o projeto Cornucopia tem como objetivo criar uma impressora 3D de comida.
Protótipo de impressora em 3D criada por brasileiro imprime chocolate e produz doces, misturando os ingredientes com o chocolate na dose certa Foto: Marcelo Coelho / Divulgação
Por enquanto, a impressora 3D é formada por um braço robótico que prepara alimentos e um mixer turbinado, mas segundo Marcelo, o projeto ainda vem sofrendo modificações. Com a invenção, eles pretendem aumentar a criatividade na cozinha, fornecendo um instrumento inovador que ajude os usuários a pensar em novas receitas. No entanto, ele afirma que as técnicas utilizadas na impressora são as mesmas que sempre foram usadas para preparar alimentos.

O primeiro protótipo do projeto, chamado Digital Fabricator, usava cápsulas semelhantes aos cartuchos de impressora a jato de tinta, porém, com ingredientes para fazer um almoço. A receita era escolhida pela tela do aparelho. Segundo Marcelo, a impressora, que tem acesso à internet, prepara os ingredientes com modelagem milimétrica e precisão de temperatura. É possível também regular a umidade dos alimentos.
Já o braço mecânico, chamado de Robotic Chief, corta os alimentos a laser, insere os temperos através de seringas e cozinha a mistura em uma placa aquecida. O aparelho é ainda equipado com um mixer batizado de Virtuoso Mixer, que tem anéis giratórios com dispensadores - uma espécie de tubo - que armazenam os ingredientes.
Esses dois protótipos é que deram origem à Digital Chocalatier, chocolateira digital ou ainda impressora de chocolate 3D. Ela permite que o usuário prepare chocolates a partir de uma interface, de um "carrossel de ingredientes" e de um copo com depósito termoelétrico.
Para tanto, basta escolher e combinar os ingredientes armazenados em cada tubo do carrossel para criar seus doces personalizados. O carrossel gira e coloca os ingredientes no depósito termoelétrico, que rapidamente gela e endurece o chocolate. A interface, por sua vez, possibilita o usuários de salvar e classificar os doces de acordo com a qualidade e com seu gosto pessoal.
"A impressora está em fase de desenvolvimento. O plano é continuar melhorando essa tecnologia e aumentar a quantidade de ingredientes", contou Marcelo Coelho. Apesar do processo de patenteamento ainda estar em curso, o brasileiro se motrou otimista quanto ao futuro do seu produto: "comercialmente é bastante viável e só precisa de um pouco mais de desenvolvimento".
Ele ainda afirmou que o grande objetivo da impressora é "trazer a mídia digital para o mundo da gastronomia, com todas as propriedades que o mundo digital oferece para se manipular informações e conectar as pessoas".
Atualmente, a grande dificuldade é, segundo Marcelo, desenvolver válvulas que possam controlar o fluxo de diversos alimentos de "forma compacta e fácil de limpar". O principal desafio é fazer com que a impressora seja fabricada em larga escala e seja usada pelas pessoas em suas casas.

Sobre Isa Costa

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.